SLCD – Afinal o que é isso ???

SLCD
Spring Loaded Camming Device
Por Marcelo Rey Belo

Mas o que é isso ?
Na verdade essa é a designação técnica do equipamento de segurança ativa que conhecemos como Friend ou como Camalot

Os Friends foram inventados por Ray Jardine, um engenheiro aeroespacial por volta de 1970. Ele já havia testado antes alguns protótipos construídos artesanalmente e posteriormente, junto com Mark vallance, conseguiu lançar no mercado (por volta de 1977) este aparelho que viria a revolucionar a escalada, principalmente na região de Yosemit.
O primeiro fabricante em série foi a Wild Country e por isso eles são conhecidos até hoje por seu nome comercial Friend

O Funcionamento do Friend parece bastante complicado, e realmente envolve uma complexa equação de forças, mas seu principio básico pode ser facilmente entendido.

Se você coloca uma escada contra uma parede não precisa ser um cientista para saber que se o ângulo o qual a escada estabelece contato com o solo é muito grande, o pé da escada deslizará. Fricção (atrito) é o que mantém a escada no lugar.
O material das superfícies é muito importante. Uma escada de madeira em um chão de concreto não são um problema, mas se a escada for de alumínio e o chão de mármore polido pode ser.

Para medir o grau de fricção entre dois materiais – entre alumínio e granito por exemplo, um bloco de alumínio é colocado em uma laje de granito. A laje de granito é inclinada até o bloco de alumínio começa a deslizar. O ângulo achado (estimativa) é de 18°. Esta informação ilustrará como o ângulo de contato é crítico.
A liga de Alumínio é usada porque é forte, leve e tem propriedades de atrito melhores que outros materiais fortes.
Ficar dentro do limite de fricção é o que manterá o Friend dentro de uma fenda.

Imagine que são unidas duas barras de liga de alumínio retangulares de forma que elas girem. Para conveniência uma manivela é adicionada para puxar .
Este dispositivo ficará preso a fenda, mas só se as barras são colocadas dentro do ângulo de 18º que nós medimos anteriormente (veja Fig.1)
Porém da mesma maneira que a escada deslizará se o ângulo é muito grande, também as barras de alumínio deslizam se o ângulo de contato é maior que 18°. (veja Fig.2).

(Nós usamos este mesmo princípio quando escalamos uma chaminé muito larga. Podemos nos manter em um ângulo mais íngreme porque usamos sapatilhas (aumento de atrito).
Este dispositivo como mostrado na fig 1 e 2 teria uso muito limitado, pois só poderia ser usado em uma fenda com tamanho já determinado.

Mas o conceito pode ser desenvolvido para ajustar uma variedade de larguras de fenda usando vários pares de barras de tamanhos diferentes Deste conceito nasceu o came.

Projetando o came com o uso de um cilindro com uma forma assimétrica.chega-se a uma peça que sempre exerce sobre a rocha o mesmo ângulo “perfeito” é o came de ângulo constante.

Mas qual é o ângulo ? Para responder esta pergunta precisamos voltar ao exemplo da fricção. Se o aluminio desliza sobre granito aos 18° e este ângulo fosse usado, o dispositivo estaria trabalhando em seu limite absoluto de fricção em uma rocha de granito paralela e não trabalharia em uma colocação menos precisa ou em uma rocha de menos abrasiva. O ângulo precisa então, ser reduzido um pouco. Ray Jardine originalmente usou 15° nos protótipo dele e concluiu que eram bons em granito, a pedra com que ele estava familiarizado, mas não trabalhou bem em alguns outros tipos de pedra que ele escalou em na Inglaterra em 1977. Depois de muitos testes, Ray e a Wild Coutry chegaram aos 13,75°. A Wild Coutry nunca precisou mudar este ângulo que foi reconhecido internacionalmente como o ângulo de camming definitivo.

Tendo projetado o came perfeito nós precisamos agora fazer uma peça de proteção. Um dispositivo que usa dois came de ângulo constantes (em lugar de as duas barras como Ray usou no primeiro protótipo, pois as barras seriam muito instáveis) – Assim o próximo desafio foi criar uma peça estável. Foi então projetado o friend com quatro cames. Este, equilibra-se sobre um ponto central e oferece maior estabilidade em repouso. A largura entre os cames também tem um papel chave nesta estabilidade.
Nasceu então o Friend (ou SLDC).

Muitos anos se passaram, as ligas de alumínio mudaram, se tornando mais leves e resistente, a haste passou de rígida para flexível,a BD lançou a linha Camalot, onde algumas peças tem 2 eixos, o que proporciona um “raio de ação” maior, na medida que os cames se encolhem mais mas nada de significativo mudou.

E em 2005 uma nova revolução. A peça que já parecia perfeita e não ter mais o que mudar (a não ser pequenas melhorias, muitas vezes só estéticas) foi revolucionada por Greg Lowe e a Omega Pacific. São os Link Cams

Depois de criados, a idéia parece simples. Cada came é dividido em duas partes articuladas o que faz com que uma mesma peça possa se encaixar em fendas de larguras bastante diferentes. Usando esse novo equipamento, com apenas 2 números você pode substituir 6 a 8 peças convencionais. A colocação é mais fácil e mais rápida, já que não é necessário “adivinhar” o tamanho da peça a ser usada.

Por enquanto, o maior inconveniente é o preço alto, que pode ser justificado pela novidade e pelo processo de fabricação das peças (Injeção de metal moldado), que segundo o fabricante, garante maior resistência e peças mais precisas.

Fotes: wildcoutry e omega pacific

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright | Clube Alpino Paulista

Acima ↑